quem somos.png

o revoar

Blog.png

blog

A importância do trabalho para a juventude em situação de vulnerabilidade social



instituto revoar, educação socioemocional, OSC, jovens, educadores, metodologia, dragon dreaming, ações sociais

O projeto do Instituto Revoar chamado DESPERTAR VOCACIONAL: habilidades sociais e emocionais para o mundo profissional, tem como objetivo capacitar jovens, em situação de vulnerabilidade socioeconômica, para a entrada qualificada no mercado de trabalho, através do desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais aumentando suas chances de conseguir o primeiro emprego, além de sua permanência e ascensão profissional ao longo da vida.


Para alcançar este objetivo macro foram determinados os seguintes objetivos específicos:

  • Desenvolver as habilidades socioemocionais da inteligência emocional, autoconhecimento, autoconfiança, autorresponsabilidade, tomada de decisão consciente e autonomia;

  • Identificar pontos fortes, habilidades, interesses, valores sonhos e objetivos pessoais e profissionais de cada jovem para o mundo do trabalho de hoje;

  • Realizar pesquisas e aprofundamento sobre o mundo do trabalho neste século e identificar suas possíveis carreiras de interesse;

  • Construir um currículo profissional robusto a partir do processo de desenvolvimento socioemocional, principalmente de autoconhecimento;

  • Desenvolver um projeto de vida profissional para os próximos 2 anos;

  • Preparar os jovens para entrevistas de trabalho e encaminhá-los para o mercado de trabalho formal.

Sendo assim, o projeto intervirá diretamente em alguns problemas relacionados à juventude e sua busca pelo primeiro emprego.


O primeiro problema é o desemprego juvenil. A dificuldade dos jovens, em situação de vulnerabilidade socioeconômica, em conseguir entrar no mercado de trabalho formal é uma realidade bastante presente hoje no Brasil e no Rio de Janeiro. Na faixa etária de 14 a 17 anos, por exemplo, 43,2% estão em busca de trabalho e na faixa etária de 18 a 24 anos, a taxa de desocupação afeta 29,5% desses jovens (PNAD, 2021). Jovens que ficam desempregados, ou que não conseguem nem entrar no mercado pela primeira vez, acabam tendo sua autoestima impactada e têm mais dificuldade de conquistar um novo, ou o primeiro emprego. O desemprego no início da vida ativa de um indivíduo pode afetar profundamente seu potencial produtivo, e, portanto, suas possibilidades de emprego e renda futuras (POCHMANN, 1998).


O segundo problema é a falta de capacitação em habilidades socioemocionais importantes para o mundo do trabalho, na medida em que estas habilidades não são desenvolvidas de forma intencional e orientada durante a infância e a adolescência, por não serem preconizadas no currículo escolar. Por não terem formação e habilidades importantes para o mercado de trabalho, que vão além das técnicas, os jovens não conseguem muitas vezes entrar no mercado, permanecer e ascender. Os resultados da pesquisa “Skills Toward Employability and Productivity (STEP)” ilustram como as habilidades emocionais estão ganhando cada vez mais importância no mercado de trabalho. A pesquisa revelou que a maioria das habilidades socioemocionais são relacionadas a salários de uma forma comparável à educação tradicional, tendo ambas demonstrado aumentos representativos na remuneração. Hoje as empresas têm procurado cada vez mais profissionais que saibam se comportar diante de situações complexas que envolvem equilíbrio e saúde emocional e para preparar os indivíduos para o mundo do trabalho do futuro, é, portanto, muito importante desenvolver as habilidades socioemocionais.


O terceiro problema é a falta de capacitações específicas e relevantes para o mundo do trabalho, isto é: como elaborar um bom currículo profissional, como se posicionar e se conhecer para realizar entrevistas e como se manter atualizado e organizado para a busca de trabalho formal. Estas dificuldades interferem diretamente no processo de busca e inserção no mundo profissional.


O quarto problema seria a permanência dos jovens na situação de vulnerabilidade social por não conseguirem um trabalho formal e a continuidade nele, a fim de possibilitar a mobilidade socioeconômica dos indivíduos. Especialmente em relação à jovens em situações de vulnerabilidade social, a dificuldade de se inserir no mercado de trabalho acarreta em um aumento da pobreza e da exclusão social. O primeiro emprego para este público é uma oportunidade de transformação social para os mesmos e para suas famílias por meio da geração de renda e da evolução destes jovens como futuros profissionais.


Os jovens em situação de vulnerabilidade social, portanto, enfrentam uma série de desafios de ordem geral e específica para sua entrada no mercado de trabalho, o que eleva as taxa de desocupação desse público e dificulta sua transição para a vida adulta, que corresponderia, em tese, a uma fase de autonomia e independência.


Com estes objetivos, o Instituto Revoar, ao final do Projeto, entende que os participantes estarão mais preparados para sua inserção no mercado de trabalho, com maior consciência de si mesmos, autoconfiantes, com mais inteligência emocional, além de terem um currículo profissional construído e estarem orientados com as ações que devem tomar para os próximos dois anos a fim de conseguir se aprimorar nas diversas dimensões da sua vida, conseguir entrar no mercado e permanecer empregado, através do planejamento do seu projeto de vida.

3 visualizações0 comentário