quem somos.png

o revoar

Blog.png

blog

O que é Socioemocional? A conexão consigo e com o outro em desenvolvimento




Com a pandemia, o distanciamento social e o retorno às atividades presenciais, nunca se falou tanto em saúde mental e, também por isso, em desenvolvimento socioemocional. Aliás, não só desenvolvimento, mas diversos outros termos relativos ao aspecto socioemocional do desenvolvimento integral do ser humano, como: soft skills, competências socioemocionais, habilidade sociais e inteligência emocional, aprendizagem socioemocional, habilidades do século XXI, …, entre outras com nomenclatura própria, conforme a perspectiva teórica ou campo de estudo de origem.


Mas afinal, o que é socioemocional?

Socioemocional é um termo que relaciona aspectos emocionais e sociais do indivíduo. É também uma expressão que une duas dimensões do desenvolvimento integral do ser humano. Trata da gestão das emoções na conexão consigo mesmo (entender a si) e com os outros (conviver e construir relações saudáveis). Suas palavras-chave seriam: conexão e desenvolvimento. Até porque é possível desenvolver a capacidade de identificar, compreender, expressar e regular as emoções, desde que haja conexão, o que pressupõe escuta (de si e/ou do outro), intencionalidade e prática.


Os aspectos socioemocionais envolvem reconhecer e gerir as próprias emoções, desenvolver autoconhecimento, autocuidado, autocrítica e autoconfiança, respeitar as regras e a perspectiva do outro, valorizar a diversidade, colaborar, ser capaz de enfrentar desafios, receber críticas, mediar conflitos e tomar decisões com responsabilidade e autonomia. Assim sendo, são aspectos emocionais que relacionam o “eu” e o “outro” em interação social, compreendendo portanto duas dimensões de conexão socioemocional: intra e interpessoal.


A dimensão intrapessoal diz respeito a conexão com seus sentimentos, sonhos, valores, história, ancestralidade, necessidades, motivações, potências individuais e a compreensão de como acolher e expressar as próprias emoções, por meio da autoinvestigação. Enquanto que a dimensão interpessoal envolve a conexão com o outro, com o reconhecimento de suas emoções e sentimentos e a criação de vínculos, pelo exercício da escuta empática e de cooperação.


Neste sentido, o desenvolvimento socioemocional é um “fenômeno com um propósito, sentido e significado social” (MARIN et al, 2017. p.94). Trata-se de desenvolvimento porque é um aprendizado em construção, por meio de processos formais e informais de autoinvestigação e de interações com o(s) outro(s) (Senna & Sucupira, 2022, John & De Fruyt, 2015) . Acontece por toda a vida, em especial na primeira infância (Goleman, 1995), e onde haja convívio e espaço para desenvolver relações mais harmônicas, isto é, em casa com a família, dentro do ambiente escolar, no trabalho, na academia, etc. Por conseguinte, é possível aprender, ensinar e praticar o desenvolvimento socioemocional, a partir da vivência e da reflexão.


O desenvolvimento socioemocional tem base nas experiências do indivíduo, ambientadas por seu contexto histórico-cultural. Inicialmente, a família, por meio de cuidados e práticas educativas transmite os valores e crenças de seu grupo social, mediando as relações sociais, consoante a qualidade da comunicação materna e do clima familiar, e compondo o desenvolvimento socioemocional referente às relações de coesão, conflito e hierarquia. Para além da família, que tem papel central, outras experiências, contextos e ambientes influenciam o desenvolvimento socioemocional saudável, como a escola, consoante o clima/harmonia das relações que se estabelecem (MARIN et al, 2017).


A interação e convivência com outras pessoas não é uma escolha, faz parte da vida em um mundo cada vez mais complexo e interativo e com acesso a uma diversidade maior de pessoas e perfis. Logo, o aprendizado socioemocional que se desenvolve na conexão consigo e com o outro é considerado um dos mais importantes para o bem-estar pessoal e sucesso profissional (Senna & Sucupira, 2022)


Texto escrito por Milena Manhães - Facilitadora Instituto Revoar


Referências:


GOLEMAN, D. Inteligência Emocional: a teoria revolucionária que define o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objetiva, 1995.


JOHN, O. & F. DE FRUYT. Framework for the Longitudinal Study of Social and Emotional Skills in Cities. OECD: Publishing, Paris. 2015.


MARIN, Helena Marin; SILVA, Cecília Tonial da Silva; ANDRADE, Erica Isabel Dellatorre; BERNARDES, Jade; FAVA, Débora Cristina. Competência socioemocional: conceitos e instrumentos associados. Revista Brasileira de Terapias cognitivas. v.13, nº 2, 2017. DOI: 10.5935/1808-5687.20170014


SENNA, Carolina. M. F., SUCUPIRA, Luciana. Material de apoio - Rota de voo: Percurso formativo Educadores em Conexão. Rio de Janeiro: Instituto, 2022.


4 visualizações0 comentário