quem somos.png

o revoar

Blog.png

blog

Competências socioemocionais: modelos usados como referência para educação socioemocional em escolas



Desde que nascemos, estamos desenvolvendo competências sociais e emocionais. Aprendemos com a família, com a escola, no trabalho e em diversas situações a nos comunicar, a fazer amizades, a trabalhar em grupo, a ter empatia, a resolver problemas, a entender o que sentimos e como agir, a ter perseverança, entre outras. As competências sociais e emocionais como quaisquer outras, podem ser aprendidas ao longo da vida por meio de processos informais e formais de autoinvestigação e de interações com os demais, e são aspectos importantes para um desenvolvimento saudável dos seres humanos.


Apesar de que, a partir das nossas vivências e experiências, vamos nos conhecendo e desenvolvendo naturalmente nossas competências socioemocionais, podemos intencionalmente e com consciência agir para este processo. Um primeiro passo, acreditamos, é conhecer as competências sociais e emocionais, saber de suas importâncias e pesquisarmos formas que podemos exercitá-las no nosso dia a dia. Saber o conceito das competências e o que envolve cada uma delas não nos fará colocá-las em prática, mas é o início de um processo para o próprio desenvolvimento. Em uma dinâmica de reflexão e prática, podemos, com constância, desenvolver atitudes e hábitos relacionados, por exemplo, à regulação emocional, à cooperação e à empatia.


Existem inúmeras características ou habilidades humanas relacionadas às competências sociais e emocionais e alguns modelos buscam organizá-las em dimensões como é o caso do Modelo dos Cinco Grandes Fatores (Teoria dos Big Five) e do Modelo do Casel. O Casel é uma organização internacional sem fins lucrativos que tem como objetivo pesquisar o impacto e promover a prática da educação socioemocional em ambientes escolares.


O Modelo dos Cinco Grandes Fatores é um dos modelos de referência de sistematização das competências socioemocionais. Este modelo teve início em uma pesquisa realizada no início do século XX, que foi sendo aprimorado ao longo dos anos, e tinha como objetivo o estudo sobre todos os adjetivos que podem descrever as características das personalidades dos indivíduos. Essas características foram agrupadas a partir da análise de questionários e organizadas em cinco dimensões que influenciam a personalidade humana, estas são: 1) abertura à experiências; 2) estabilidade emocional; 3) consciência; 4) extroversão; 5) amabilidade; e 5) neuroticismo. Este modelo tem sido usado no campo da educação uma vez que estas dimensões estão relacionadas à competências sociais e emocionais, como se pode ver no quadro abaixo:



















O modelo desenvolvido pelo Casel também organiza as competências intrapessoal, interpessoal e cognitivas em cinco domínios, estes são: 1) autoconhecimento; 2) autocontrole; 3) consciência social; 4) habilidade social; e, 5) tomada de decisão responsável. O Casel tem uma série de materiais teóricos e práticos que aprofundam o conhecimento de cada um desses domínios e é uma das principais referências do Revoar.


Modelo CSE CASEL
















Ter conhecimento desses modelos que organizam as competências socioemocionais acreditamos ser importante para o início de uma atuação socieomocional na educação. Compreender estes domínios/dimensões será importante para as escolas e a comunidade escolar possam definir o que, de que forma e quando abordar. Algumas instituições, por exemplo, determinam focar algumas competências por série/faixa etária.


Existem muitas formas de incluir o desenvolvimento socioemocionais nas escolas de forma intencional e o conhecimento dos modelos de referência podem ser um caminho para isto!


8 visualizações0 comentário